Últimas Notícias

segunda-feira, 20 de abril de 2020

Olhe para cima: abril terá encontros planetários e chuva de meteoros



É um pássaro? É um avião? Não! É é uma chuva de meteoros! É o que promete o céu do mês de abril, com melhores condições para a observação astronômica na maior parte do Brasil por conta do clima mais seco e as noites mais longas, segundo o físico da Universidade Federal de São Carlos, Gustavo Rojas, em sua coluna mais recente publicada no site da Revista Galileu

Mesmo que o país ainda esteja sob recomendação de quarentena em função do coronavírus, sempre dá para dar uma passada na varanda ou no quintal para observar as estrelas. Inclusive, nas grandes cidades, será possível acompanhar os astros mais brilhantes, como a Lua e os planetas.

Já quem vive em regiões mais isoladas, distante das luzes artificiais, terá o privilégio de poder assistir a fenômenos mais sutis, como as chuvas de meteoros, em condições mais favoráveis.

A primeira noite estrelada já é esta sexta-feira. Na constelação de Touro, um dos mais belos aglomerados de estrelas estará visível: as Plêiades. São centenas de estrelas, formadas há 100 milhões de anos, entretanto, a olho nu, só conseguimos enxergar as sete mais brilhantes.

Na terça-feira (7 de abril) é a vez da Super Lua impressionar todo mundo novamente e pela última vez em 2020. Segundo Rojas, o fenômeno ocorre quando as datas da Lua Cheia e seu perigeu (maior aproximação à Terra) são muito próximas.

Já na madrugada de quarta-feira (15), a Lua minguante fica entre os dois maiores planetas do Sistema Solar: Júpiter e Saturno. Júpiter é o mais brilhante do par. Abaixo deles, está o avermelhado Marte. É a partir das 2h, a leste.

E, para encerrar essa maratona astrológica, dia na quarta seguinte (22) traz a primeira chuva de meteoros intensa do ano no Hemisfério Sul. Os Lirídeos são causados pela poeira deixada pelo cometa C/1861 G1 Thatcher. Sob condições ideais, podem ser observados de 10 a 15 meteoros por hora. A recomendação do especialista é olhar para o norte, na direção da estrela Vega, a partir das 0h do dia 22. O melhor horário é por volta das 4h.