Últimas Notícias

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

Gugu Liberato: laudo médico aponta 'acidente' como circunstância da morte


Gugu Liberato durante coletiva de imprensa do reality show 'Canta Comigo' em 23 de setembro, no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo — Foto: Fábio Guinalz/Fotoarena/Estadão Conteúdo
A morte de Gugu Liberato foi causada por um "traumatismo craniano", atesta o laudo médico oficial divulgado pelo estado da Flórida. O documento também informa que a circunstância da morte foi um "acidente".

Divulgado pelo estado da Flórida, o documento aponta múltiplas fraturas na cabeça, pescoço e torso do apresentador, além de uma hemorragia no cérebro. A região mais afetada foi o tórax, com "contusões na parte superior direita do tórax, parte lateral direita do tórax, parte superior esquerda do tórax e parte lateral esquerda do tórax e centro do tórax".

"Em consideração às circunstâncias que cercam sua morte, e após exame do corpo, análise toxicológica e revisão da avaliação dos registros médicos, é minha opinião que a morte de Antonio Liberato, homem branco de 60 anos, que caiu através do teto de seu sótão para o chão e foi transportado para o hospital na sequência, é resultado de um traumatismo craniano", concluiu Joshua D. Stephany, médico legista que assina o laudo.

Segundo o exame toxicológico, o apresentador não estava sob efeito de nenhum medicamento, substância ou entorpecente no momento da morte.

O laudo foi divulgado anteriormente pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

Antônio Augusto Moraes Liberato tinha 60 anos e era pai de três filhos que teve com a médica Rose Miriam di Matteo. A companheira Rose estava com o Gugu no momento do acidente.

Morte após acidente doméstico


Segundo a assessoria de imprensa do apresentador, Gugu Liberato teria morrido no dia 22 de novembro, após sofrer um acidente doméstico em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos. Porém, de acordo com o laudo médico oficial, Gugu morreu um dia antes, no dia 21. Já a queda ocorreu no dia 20.

O corpo do apresentador foi velado por mais de 20 horas, na Assembleia Legislativa de São Paulo. O enterro ocorreu no dia 29 de novembro, no Cemitério Gethsêmani do Morumbi, na Zona Sul de São Paulo.